Cesto vazio

As tarefas de casa é uma responsabilidade geral, todo mundo pode contribuir para construir a família essas tarefas também estão inclusas nesses cuidados. Quando se percebe a participação de cada membro da família, podemos notar também um ambiente de maior união. E cada integrante do grupo, por mais jovem que seja, pode dar sua pequena contribuição para ajudar nas tarefas que diariamente precisam ser realizadas em casa. Isso, além de estreitar os laços familiares também pode servir de incentivo ao desenvolvimento dos nossos filhos, pois, designá-los para a realização de algumas tarefas, coloca sobre eles uma responsabilidade.  Mas não uma questão apenas de trabalhar em equipe e promover uma convivência saudável. A realização dos afazeres domésticos ensina as crianças a valorizar o esforço que os familiares fazem por elas, exercitam assim a responsabilidade, vontade, a disciplina, a solidariedade e o sentido de pertencimento, por fazer com que se sintam membros ativos da família. Parte dessas lições serão determinantes para formar uma personalidade autônoma, baseada no esforço e na capacidade de agirem por si mesmos.

E apesar de todo o cuidado que as mães têm com seus pequenos, eventualmente chega a hora em que eles começam a ser menos dependentes e demonstram interesse em fazer coisas por conta própria né? Então você pode atribuir essas pequenas responsabilidades para seus filhos, distribuindo tarefas para que ele demonstre essa independência, mas lembre-se de sempre estar por perto para supervisioná-lo durante a execução das mesmas. Cada tarefa tem sua importância, você pode iniciar com tarefas básicas, como por exemplo, incentivando seus filhos a guardar seus brinquedos, organizar o próprio quarto ou recolher a roupa suja.  instruí-los a colocar a mesa, por exemplo, tanto talheres quanto pratos e copos. Outra opção também é pedir a ajuda deles na hora de preparar alguma refeição ou lanche, acompanhando-o sempre de perto. É importante que os pais mostrem a seus filhos como se realiza cada uma destas atividades, pois as crianças precisam saber com exatidão o que se espera delas. Recomendamos que vocês os ensinem uma tarefa de cada vez, para não deixá-las confusas, sobretudo quando são pequenas.

Esperamos ter ajudado vocês, até a próxima!

Se tem algum evento que as crianças costumam lembrar por muito tempo, é a festa do pijama. E existe maneira melhor para deixar a criançada super feliz e animada do que reunir todo mundo em uma festa? Acreditamos que não. A ideia é de que esse seja um encontro repleto de atividades e brincadeiras para celebrar um aniversário, juntar os amigos do seu filho nas férias, ou simplesmente promover o convívio dos pequenos. Além de ser um evento em que não são necessárias decorações extravagantes ou outros enfeites, pois a maior diversão é aproveitar esse tempo com os amigos brincando e se divertindo com todos eles.

Nós da Brinqueduque trouxemos aqui algumas dicas de como fazer a melhor festa do pijama para o seu filho:

Combine com os outros pais

Primeiramente, é necessário o consenso dos pais de todos os amigos que vão participar, pegue o contatos deles para passar demais informações, como sobre os horários ou algum tipo de alergia. Assim fica mais fácil a comunicação em qualquer situação que venha acontecer.

Convites

É importante que nele contenha a data do evento, o endereço e os horários de início e término da festa. Não se esqueça de deixar seus telefones de contato e especificar se as crianças precisam levar alguma coisa.

Atenção ao espaço

Pense com cuidado quanto ao número de convidados, para que não tenha problemas com falta de espaço, ou problemas quanto à segurança dos pequenos.

Atividades

Disponibilize um cesto cheio de jogos de tabuleiro para momentos mais tranquilos, aliás, os filmes são uma boa pedida para o final da festa, para acalmar as crianças antes de dormir. Mas é inevitável que aconteça alguma guerra de almofadas.

Alimentação

Como é uma “celebração”, as crianças vão querer algum lanche rápido e prático, como pizza, sanduíches com batatas fritas, chocolate quente, pipocas, bolachas, e até bolo de aniversário são algumas boas sugestões para saciar o apetite. Um jantar servido um pouco mais cedo, também é uma opção.

 

Lembrando que,  se as crianças forem muito pequenas, o mais correto é a supervisão constante – combine com outros adultos, que até podem ser pais das crianças convidadas, para revezar se possível. As crianças mais velhas já se entretêm melhor e vão adorar serem “independentes” por uma noite, porém recomendamos que eventualmente você vá dar uma olhada em como as coisas estão indo.

Boa festa e até a próxima!

O outono chegou, e esta é a melhor época do ano para fazer algumas atividades com as crianças. Com temperaturas mais amenas, as atividades ao ar livre são ótimas opções de lazer e sempre muito agradáveis. Esta também é a época em que as folhas das árvores ganham novas colorações, e com isso, surgem muitas ideias do que fazer para curtir um tempo de qualidade com os nossos filhos.

Separamos essa semana, algumas atividades que você pode fazer para passar um tempo com seu filho nesta época do ano:

Piquenique no parque

O outono é uma época do ano em que a temperatura e a pouca chuva propiciam passeios ao parque, acompanhados por um delicioso piquenique, que pode ser feito com lanches saudáveis e frutas da época como a maçã, banana, goiaba, tangerina, entre outras. Junte a criançada e divirtam-se.

Colagem de folhas

Que tal um painel bem divertido e que pode ser construído com a participação de todos da casa? Recolha folhinhas secas, grãos e sementinhas. Você pode separar também, um pedaço grande de cartolina ou papel craft, cola, tesoura (sem ponta) e giz de cera. Faça uma colagem bem bonita. Vale escrever e completar com desenhos! Escolha um local da casa e fixe o cartaz por um tempo.

Festa do pijama

Uma boa dica também, é convidar alguns amiguinhos do seu filho para passar a noite em sua casa, com uma festa do pijama. Com isso, ele será capaz de estreitar os laços de amizade com as outras crianças. Devemos lembrar que é recomendável que sempre haja um adulto responsável supervisionando as atividades da festa.

Noite do cinema

Assistir filmes com a família e amigos é sempre uma ótima opção de lazer. Você pode organizar com amigos dos seus filhos, ou com a própria família, fazer bastante pipoca, colocar colchões no chão da sala para curtir melhor a experiência.

Cozinhar

Incentivar nossos filhos a ajudar com as refeições, sempre foi uma alternativa muito válida. Muitas crianças adoram ajudar os pais na cozinha e você pode incentivá-lo dando opções para a refeição que ele pode fazer, sejam lanches rápidos, refeições um pouco mais elaboradas… eles sempre adoram ajudar.

Espero que tenhamos te ajudado com estas alternativas de atividades para o Outono, até a próxima!

Brincar é uma das coisas mais presente na vida de qualquer criança. Tanto no quintal, como no parquinho ou na escola, é por meio das brincadeiras que nossas crianças treinam para várias situações e visões do mundo, onde ela coloca sua percepção e aprende as regras e limitação da vida. E para aqueles que não sabem, brincadeira é coisa séria. Brincando, a criança se expressa, interage, forma sua personalidade, aprende a lidar com o mundo que a cerca, e recria as situações do cotidiano. Desta maneira pode-se perceber a importância de brincar como forma da criança se expressar e desenvolver suas habilidades de criação, de relacionamento e de interação.

É comum que às vezes não seja possível aos pais participar o tempo todo das brincadeiras com as crianças - por conta do trabalho -. Mesmo que a criança tenha a capacidade de se divertir sozinha, a participação dos pais nessa atividade também é essencial para a própria segurança infantil, seu sentimento de pertencimento e para você. Assim seus laços mais íntimos são reforçados enquanto você compreende melhor o universo de seu filho.Deixá-los dormir até tarde e passar o restante do dia entre a televisão e o videogame não é uma boa forma de aproveitar essa folga, eles precisam gastar toda a energia de forma divertida, é aí que surge a preocupação dos pais, como podemos fazer isso?

Separamos aqui algumas atividades e brincadeiras para que você aproveite esse tempo livre com qualidade ao lado dos seus filhos:

Piquenique

Antigamente esta era uma atividade muito mais comum, algumas crianças nem sabem bem ao certo o que é um piquenique. Combine com seus filhos e realizem um piquenique em um local agradável, como alguns parques. Aqui em São Paulo, indicamos o Parque Ibirapuera ou o Parque Villa Lobos.


Zoológico

Esta é interessantíssima, e também muito educativa pois ao mesmo tempo que seu filho se diverte vendo de perto os animais, ele também pode aprender algo que não saiba.

Amarelinha

Faça o desenho da amarelinha no chão, enumere os quadrados de 1 a 10. A primeira criança joga uma pedra na primeira casa (1) e, em um pé só, pula e vai até a última. Na volta, pega a pedra do chão. Na próxima rodada, joga a pedra na casa 2 e vai até o fim em um pé só. E assim sucessivamente, lembrando que não pode colocar o segundo pé no chão, nem errar a casa.

Dança das cadeiras

Separe algumas cadeiras, de acordo com o número de pessoas, menos um. Em uma fila indiana, os participantes devem circular pelas cadeiras, com as mãos para trás e ao som de uma música. Quando a música parar, elas devem se sentar na cadeira mais próxima. Quem ficou de pé, é eliminado e uma cadeira deve ser retirada. Vence quem sentar na única cadeira que restar.

Cozinhar

Separe algumas horas para prepararem juntos uma refeição. Peça ajuda de seus filhos para que possam definir o cardápio do dia e dediquem um tempo entre a compra dos alimentos que irão utilizar e o preparo da refeição.

Soltar pipa

Primeiramente, sugerimos que você brinque em uma região distante de fios de eletricidade. Segurando a linha da pipa a criança deve ir soltando-a de acordo com a distância que se pretende alcançar e conforme a velocidade e direção contrária ao vento.

Jogar bola

Além do futebol, podemos usar a bola para fazer diferentes brincadeiras com as crianças como a queimada, que estimula a agilidade, velocidade, mira, atenção e cooperação.

Mestre mandou

Um participante deve ser nomeado o mestre, que fica em frente aos demais, e ordena que imitem os seus gestos, dizendo: “O mestre mandou…”. Porém, as crianças só devem imitar se o mestre disser essa frase antes de indicar o gesto. O jogador que imitar sem ouvir “o mestre mandou”, é eliminado.

 

Feriados são ótimos momentos para descansar, mas também é necessária uma interação maior com nossos filhos. Um abraço e até a próxima!

Foi cientificamente comprovado que a fase da nossa infância é o período em que mais desenvolvemos nosso caráter, nossa personalidade e o nosso jeito de ser. Por meio de atividades físicas, conseguimos estimular melhor o desenvolvimento do nosso corpo. Após a integração dos jogos eletrônicos na vida dos nossos filhos, houve um abandono das brincadeiras físicas que beneficiam a saúde. As brincadeiras infantis além de descontrair e divertir as crianças são importantes ferramentas para a formação educativa, capazes de atuarem em diversas áreas comportamentais e cognitivas. O aperfeiçoamento das habilidades e coordenação motora é muito trabalhado em determinadas brincadeiras, sem contar com o estímulo social que se desenvolverá entre as crianças, o que estimula o respeito através do contato com as diferenças, limitações e dificuldades de cada um. E para te ajudar, no texto de hoje trouxemos algumas brincadeiras que ajudam a desenvolver melhor o corpo e a mente dos nossos pequeninos:

Pular corda

Esta é uma atividade contagiante. Muitas pessoas podem pular ao mesmo tempo, além de existirem diversas cantigas que são responsáveis por auxiliar a brincadeira. Trata-se de uma prática atemporal, para todas as idades, além de ser um ótimo exercício físico para liberação de energia.

Jogo da velha

Ótima brincadeira para desenvolver o raciocínio lógico das crianças. No papel é desenhada uma malha (#) já conhecida como jogo da velha, um integrante será o “X” e o outro a “O”, após isto ocorre o sorteio de quem irá começar. Cada criança irá marcar o símbolo num espaço, uma vez de cada, a que conseguir formar uma sequência, ganhará o jogo.

Cada macaco no seu galho

Para esta, são divididos dois grupos em lados opostos e um dos integrantes de cada grupo ficará no meio, os outros correrão ou passarão normalmente pelo espaço. Quando ouvirem o grito “cada macaco no seu galho” devem tentar passar para o seu lado, aquele que for pego é eliminado.

Amarelinha

Esta é clássica. Primeiramente, desenhe no chão da rua ou quintal de casa, numerais de 0 a 10. Após isto, o primeiro participante joga uma pedrinha no zero e pula nos outros quadrados, exceto aquele em que está a pedra. Com um pé, quando estiver num único quadrado e com os dois quando estiver em dois quadrados. A vez é do participante até o mesmo errar, e assim o próximo contínua.

Quebra-cabeça

Existem diversos tipos de quebra-cabeça e todos são encantadores para as crianças, principalmente pelos desenhos que se formam. É uma atividade que requer muita atenção, uma ótima aliada para o estímulo mental da criança. O intuito é montar as imagens através das peças.

Quem não conhece aquela criança, de aproximadamente 3 anos de idade que é uma gracinha, até outra criança tentar pegar seu brinquedo favorito? Daquele tipo que até se debruça sobre o brinquedo para que ninguém possa tirar dela… mas, ela não tem culpa, não é por maldade ou por falta de educação. Algumas crianças simplesmente têm mais dificuldade do que as outras para compartilhar seus brinquedos, roupas e até mesmo, a atenção dos pais.

Compartilhar é algo difícil até para os adultos, imagine só para quem ainda está formando a personalidade. Lembre-se da sua infância: se você tem vários irmãos, quantas vezes não se escondeu no quarto, com aquele brinquedo especial para não ter que emprestar? Faz parte do instinto de preservação querer guardar o que é seu. A consciência da necessidade de compartilhar começa a surgir na criança somente entre 4 a 6 anos.

Confira aqui algumas dicas para que você possa ensinar seu filho a compartilhar mais seus brinquedos desde cedo:

Selecione, com a criança, roupas e brinquedos que podem ser doados: Além de facilitar o desapego, o conceito da solidariedade passa a ser compreendido. Mas atenção: nunca faça isso sem a participação do seu filho;

Evite que seu filho leve brinquedos novos a situações sociais com outras crianças: O encantamento pelo brinquedo recém-ganho e as descobertas que ele ainda proporciona, tornam muito mais difícil o compartilhamento com outras crianças. Para evitar um desgaste emocional desnecessário, deixe o objeto em casa enquanto sua fase de exploração estiver em andamento;

Convide muitos amiguinhos para brincar: Chamar os amiguinhos para brincar, assistir um filme, ir a um piquenique, abre ótimas oportunidades para que as crianças pratiquem as habilidades sociais em ambientes onde seus pais podem supervisioná-las e mesmo orientá-las, quando necessário;

Conte detalhes de situações em que você emprestou ou pegou algo emprestado: Para reforçar que itens emprestados têm volta, conte para seu filho que vai devolver a uma amiga a bolsa que ela lhe emprestou para ir a uma festa, por exemplo. Empreste uma revista a um vizinho perto da criança e combine quando ela será devolvida. Exemplos ensinam muito.

As crianças de hoje, de uma maneira geral, têm mais dificuldade de compartilhar do que as de antigamente. E isso se deve, em grande parte, ao estilo de vida moderno, porém seguindo essas dicas, você pode despertar esse senso de partilha.

Até a próxima!

 

Durante toda a nossa vida, e principalmente na nossa infância e adolescência, somos movidos a motivação e incentivos para termos mais confiança pelos anos que passarão. Estudos já revelaram que esta confiança deve ser desenvolvida nos nossos filhos desde muito cedo, pois crianças autoconfiantes se tornam adultos mais bem sucedidos e felizes, não carregam sobre as costas o peso da dúvida constante e carência emocional, que pode levar a inúmeros traumas e ao consequente fracasso. É trabalho dos pais desenvolver o psicológico de seus filhos, além de todos os cuidados que são essenciais. 

Como falamos antes, pesquisas apontam que a autoconfiança pode ser transmitida através dos genes, e que algumas pessoas apresentam essa característica por natureza. Porém o ambiente em que esta criança é educada, também pode influenciá-la de maneira positiva ou negativa, desenvolvendo este traço genético, ou então, inibindo o seu desenvolvimento. Da mesma forma, crianças que não apresentam tais traços de autoconfiança em seus genes, também podem se tornar mais confiantes através de hábitos e condicionamentos específicos.

Nós da Brinqueduque trouxemos aqui algumas dicas para que você possa trabalhar a autoconfiança do seu filho:

Valorize seu ponto de vista

Quando éramos mais novos, diziam-nos: "Silêncio! Os adultos estão conversando." As crianças precisam aprender a respeitar, mas é importante também, dar-lhes espaço para se expressarem livremente.

Deixe-os tomar decisões, ter mais responsabilidade

Quando seu filho tem a chance de fazer escolhas a partir de uma idade, ele vai ganhar confiança em seu próprio bom senso, porém, ter muito controle pode ser ruim. Às vezes é melhor dar duas ou três opções para ele escolher ao invés de dar liberdade para que ele escolha qualquer coisa que lhe vier à mente.

Permita-lhe errar

Isso faz parte do aprendizado e o erro não deve ser inibido, pelo contrário, o erro deve ser observado, analisado e corrigido pela própria criança, mas com o seu auxílio. Evitar que seu filho erre pode atrapalhar o seu aprendizado, e consequentemente,o seu desenvolvimento.

Promova a resolução de problemas

Auxilie-o a lidar com problemas, mas nem sempre resolva-os para ele. Dessa forma você fornece uma possibilidade de ele sentir-se bem sucedido. Dê dicas, sugestões, mas não faça por ele. O objetivo é guiá-lo e apoiá-lo nos seus esforços para solução de problemas mas não fazer por ele o que tem capacidade de conquistar por si mesmo.

Encoraje seu filho a tentar dominar tarefas nas quais está se esforçando

Crianças aprendem fazendo. Separe dificuldades em passos controláveis para que ele se sinta em controle, confiante e seguro, como por exemplo, se ele está aprendendo a colocar seus sapatos ou outra atividade qualquer.

Por fim, comemore o sucesso de seu filho

Demonstrar para ele que você reconhece que está crescendo e aprendendo, ajuda a criar confiança. Faça um álbum de fotografias com suas conquistas. Tire fotos de seu filho se esforçando para subir em uma cadeira, e outra dele sentado orgulhoso, pequenas atitudes assim ajudam.

Esperamos que você tenha gostado, nos encontramos na próxima!

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *